DECÁLOGO DA PAZ

DECÁLOGO DA PAZ

1. APRENDA A DESCULPAR INFINITAMENTE PARA QUE OS SEUS ERROS, À FRENTE DOS OUTROS, SEJAM ESQUECIDOS E PERDOADOS.

2. CALE-SE, DIANTE DO ESCÁRNIO E DA OFENSA, SUSTENTANDO O SILÊNCIO EDIFICANTE, CAPAZ DE AMBIENTAR-LHE A PALAVRA FRATERNA EM MOMENTO OPORTUNO.

3. NÃO CULTIVE DESAFETOS, RECORDANDO QUE A AVERSÃO POR DETERMINADA CRIATURA É, QUASE SEMPRE, O RESULTADO DA AVERSÃO QUE LHE IMPUSESTE.

4. NÃO PERMITA QUE O EGOÍSMO E A VAIDADE, O ORGULHO E A DISCÓRDIA SE ENRAÍZEM NO SEU CORAÇÃO, LEMBRANDO QUE TODA A IDÉIA DE SUPERESTIMAÇÃO DOS PRÓPRIOS VALORES É ADUBO NOS ESPINHEIROS DA IRRITAÇÃO E DO ÓDIO.

5. PERANTE O COMPANHEIRO QUE SE RENDEU ÀS TENTAÇÕES DE NATUREZA INFERIOR, DEIXE QUE A COMPAIXÃO LHE ILUMINE OS PONTOS DE VISTA, PENSANDO QUE, EM OUTRAS CIRCUNSTÂNCIAS, PODERIA VOCÊ OCUPAR-LHE A INDESEJÁVEL SITUAÇÃO E O LUGAR TRISTE.

6. NÃO ERGA A SUA VOZ DEMASIADAMENTE E NEM TEMPERE A SUA FRASE COM FEL, PARA QUE A SUA PALAVRA NÃO ENVENENE AS CHAGAS DO PRÓXIMO.

7. LEVANTE-SE CADA DIA COM A DISPOSIÇÃO DE SERVIR SEM A PREOCUPAÇÃO DE SER SERVIDO, DE AUXILIAR SEM RETRIBUIÇÃO E COOPERAR SEM RECOMPENSA, PARA QUE A SOLIDARIEDADE ESPONTÂNEA TE FAVOREÇA COM OS CRÉDITOS E RECURSOS DA SIMPATIA.

8. ESQUEÇA A CALÚNIA E A MALEDICÊNCIA, A PERVERSIDADE E AS AFLIÇÕES QUE LHE DILACERAM A ALMA, ENTENDENDO NAS DORES E OBSTÁCULOS DO MUNDO, AS SUAS MELHORES OPORTUNIDADES DE REDENÇÃO.

9. LEMBRE-SE DE QUE OS SEUS CREDORES ESTÃO REGISTRANDO A LINGUAGEM DE SEUS EXEMPLOS E PERDOAR-LHE-ÃO AS FALTAS E OS DÉBITOS, À MEDIDA QUE SE FIZER O BENFEITOR DESINTERESSADO DE MUITOS.

10. NÃO JULGUE QUE O SERVIÇO DA PAZ SEJA MERO PROBLEMA DE BOCA, MAS, SIM, TESTEMUNHO DE AMOR E RENÚNCIA, REGENERAÇÃO E HUMILDADE DA PRÓPRIA VIDA, PORQUE, SOMENTE AO PREÇO DE NOSSO PRÓPRIO SUOR, NA OBRA DO BEM, É QUE CONSEGUIREMOS RECONCILIAR-NOS MAIS DEPRESSA COM OS NOSSOS ADVERSÁRIOS, SEGUNDO A LIÇÃO DO SENHOR.

ANDRÉ LUIZ de "Mentores e Seareiros".

Psicografia de Francisco Candido Xavier

 


Contacto

Acessando a Divina Luz - Lições de Vida